Entrevista Exclusiva com Natasha Rhodes - Autora dos livros Final Destination

“NATASHA RHODES é uma autora britânica de vários livros populares como adaptações de filmes, incluindo "Blade: Trinity", "Final Destination: 1 e 2" e "A Hora do Pesadelo". Os livros de Natasha tem sido publicados internacionalmente em oito países e traduzidos em dezenas de idiomas, incluindo Francês, Grego e Russo, além do Inglês. Sua série original de Dark Fantasy, estrelando a caçadora de vampiros Kayla Steele começa com "Dante's Girl" e "The Last Angel.". "Circus of Sins" foi lançado em 2010 e atualmente Natasha está trabalhando no volume quatro de sua série.”

ENGLISH

NATASHA RHODES is the British-born author of a number of popular novels and movie Novelizations,
including the smash-hit movie blockbusters 'Blade: Trinity,' 'Final Destination: The Movie' (1 and 2), 'A Nightmare on Elm Street: Perchance To Dream.' Natasha's books have been published internationally in eight different countries and translated into a variety of languages, including French, Greek, Russian and American. Her original Dark Fantasy series featuring Vampire Hunter Kayla Steele begins with 'Dante's Girl' and 'The Last Angel.' Her third novel 'Circus of Sins' was released in 2010, and she's currently working on Book Four of her series.

It’s amazing to think about what Internet can bring to us. Lots of you might haven’t read any of the Final Destination novels, but believe me, they are HUGE additions to the franchise mythology. And now, eight years after the release of these books, who I found online? Natasha Rhodes. The author whose books has brought life to the literary universe of the series. She wrote the novelization for the two first movies, besides the original “Dead Reckoning”.



After contacting Natasha, I decided to try an interview. After all these years working on another series, Natasha didn’t had to think twice to answer us. She is gorgeous, she is talented, well, she is extremely awesome.
Again, if you hadn’t read any of her works, don’t matter – read the interview to get to know her. If you’re a writer, even better – Natasha gives an important advice.

HERE IT GOES!

Can you give us some background on how you first started to write?

Answer: When I was a kid, my mother got me a library card and showed me how to check out books from the library. I was hooked – I’d always loved books, and now I’d just been given a golden key that would let me have any book in the world I wanted for free! There was a huge Science Fiction/ Horror selection at our local library, and so I quickly became a horror fan at a very young age.


Back to 2004, you wrote the novelization for Blade Trinity. How did you become involved with Black Flame's "Final Destination" novels?
A: Blade 3 was a strong seller for my book company (Solaris), which had a deal going with New Line Cinema to produce their movie novelizations, way back in the early 2000s. I was lucky enough to be picked to write the official tie-in books of the first two Final Destination films, based on the success of my Blade 3 novelization, which I wrote at age 27.


Q: When you were contracted to write, only the first two movies had been released. Were you a personal fan of the franchise? By now, what's your favorite movie of the franchise? What's your favorite death scene?
A: I’d seen the first ‘Final Destination’ film at the cinema and thought it was a very clever and inventive idea. The first movie is still my favorite. The best death scene was the aircraft sequence at the start of the movie. Funny story - I actually wrote the movie adaptation of that particular scene on an airplane during a 13-hour flight from England to America, so I had to watch the ‘Exploding Aircraft’ scene over and over on my laptop to get all the details written down. It was only when I was replaying it for the 30th time when I noticed that the lady sitting next to me had gone very pale and was clutching a cross. Oops!


Q: Mostly of your works are related to horror/fantasy/supernatural stuff. Are you a personal fan of these genres?A: I’m a HUGE Sci-fi/ horror fan. I first got into sci-fi by reading Isaac Asimov’s early works such as his 1950s ‘I,Robot’ series. His speculation about how robots would need a code of ethics if they were to live with humans in the real world absolutely fascinated me. He inspired a whole generation of writers to develop smarter science fiction that was as much rooted in human psychology as it was in science.


Q: How was the process of writing an original story for the Final Destination series, "Dead Reckoning"? Did you have to do some research, and did you talk to the Producers?
A: Of course I re-watched all the movies, and then I read everything I could find on the internet about the series. I wanted to write a spin-off book which was as faithful to the series premise as possible, which the fans would enjoy. I was given a free rein by New Line to write what I wanted as long as the story followed all the Final Destination rules, which was a tremendous opportunity to be inventive and have some fun. I’m a big rock music fan, so it was great to inject some of my personality into the book by making the heroine the female lead singer in a rock band.


Q: How did you "adapt" a movie into a novel? How was the process with Final Destination 1? Wow, personally, that nightmare sequence with Alex was just A W E S O M E.

A: Thank you! Well, the first step is to research the movie – I read everything I can get my hands on, and talked to fans of the series online in order to ask them what they liked and dislike about the movie. For Final Destination 1, everyone agreed that the relationship between Alex and Clear was one of the movie’s strongest points, so I put some extra time and effort into trying to flesh out their relationship in a way that perhaps there wasn’t really time for in the movie. That to me was just as interesting (if not more so) as the gory death scenes.

Q: In some of the early covers for Final Destination 2, only "Nancy A. Collins's" name was on it. How did you get approached to write the novel with her? How was the process of working with another writer into a movie novelization?
A: Put simply, she wrote the first draft, and I wrote the second draft. Nancy was originally commissioned to write Final Destination 2, but due to her other commitments, the manuscript she delivered was too short. Solaris sent me her manuscript and I reworked it to add depth and color, and fleshed out scenes that I felt she could have elaborated on. We never met or spoke during the process, which was a little strange, but I’m proud of the finished book because I was able to take her strengths as a writer and build on them.

Q: What advice can you give to those who want to write professionally?

A: My #1 piece of advice would be to ignore what is popular right now on the Bestseller list and at the movie theater, and write the book that YOU most want to read. Never write a book because you want to make money. Always write so that the book you have in your heart gets to see the light of day.

Q: Can you tell us about your "Kayla Steele" series?
A: After I wrote five movie novelizations, I was allowed to write my own book series. In my ‘Dante’s Girl’ series. the heroine is a werewolf, fighting for justice against the wolf pack who murdered her true love. I’ve been a big werewolf fan since I first saw ‘American werewolf in London’ by John Landis, but every werewolf movie and novel since then has always been a disappointment. Vampires are always portrayed as sexy and mysterious, whereas werewolves are painted as little more than hairy thugs. In my book series, I wanted to reverse this and apply an ‘Isaac Asimov’-style method of thinking to werewolves – if they existed and lived in modern society, what rules would they have to follow? Would they have religion, and (more importantly) how rich would the makers of multiple-blade razors become, marketing their shaving products to the werewolf market?

Q: And lastly, what upcoming projects should readers be on the lookout for?
A: I’m currently working on Book Four in the “Kayla Steele” series, which should be ready for release by Xmas 2014. Stay tuned!

TRADUÇÃO - PORTUGUESE

É incrível pensar no que a Internet pode nos oferecer. Muitos de vocês podem não ter chegado a ler algum dos livros de Final Destination, mas acreditem, eles acrescentam muito para a mitologia da série. Hoje, praticamente oito anos após os lançamentos desses livros, quem eu encontro na Internet? Natasha Rhodes. A autora cujos livros trouxeram vida ao universo literário da série. Ela escreveu a adaptação para os dois primeiros filmes, além do original Dead Reckoning. 

 Depois de entrar em contato com Natasha, decidi tentar uma entrevista. Mesmo após todos esses anos trabalhando em outros projetos, Natasha não pensou duas vezes em nos responder. Ela é gata, ela é talentosa, bom, ela é extremamente incrível.

 E se você não chegou a ler os livros, não importa - leia a entrevista para conhecê-la. Se você é um escritor, melhor ainda – Natasha dá um conselho muito importante. 

 Você pode nos contar como você começou a escrever? 
 Quando eu era criança, minha mãe me cadastrou numa biblioteca pública e me mostrou como emprestar livros com um cartão. Eu fiquei fascinada – eu amava livros e agora eu tinha um cartão dourado que me permitiria ter qualquer livro no mundo e de graça! Tinha uma enorme seção de Ficção Científica/Horror na nossa biblioteca local, então rapidamente, ainda jovem eu me tornei uma fã de horror. 

 Em 2004, você escreveu a novelização de Blade Trinity. Como você se envolveu com a franquia de livros “Final Destination” da editora Black Flame?
 A adaptação de Blade 3 foi um sucesso de vendas para minha editora (Solaris), que já tinha um acordo com a New Line Cinema em que podia publicar as adaptações dos filmes da empresa, muito antes dos anos 2000. Eu tive sorte e fui escolhida para escrever os livros oficiais dos primeiros dois Final Destination, devido ao sucesso da minha adaptação para Blade 3, a qual eu escrevi quando tinha 27 anos. 

 Quando você foi contratada para escrever, apenas os dois primeiros filmes da série tinham sido lançados. Pessoalmente, você era fã da franquia? E atualmente, qual é o seu filme preferido da série? Qual a sua cena preferida da série? 
 Eu tinha visto o primeiro “Final Destination” no cinema e tinha achado inteligente e criativo. O primeiro filme ainda é o meu favorito. A melhor cena da série é a sequência da aeronave no começo do filme. Uma história engraçada – na verdade eu escrevi a adaptação daquela cena em particular num avião, durante um voo de 13 horas da Inglaterra para a América, então eu tive que assistir a “Explosão da Aeronave” várias e várias vezes no meu laptop para conseguir escrever todos os detalhes. Foi lá pela trigésima vez em que eu estava repetindo a cena quando eu percebi que a senhora do meu lado estava muito pálida e agarrando uma cruz. Oops!

 A maioria dos seus trabalhos são relacionados com horror/fantasia/sobrenatural. Pessoalmente, você é uma grande fã desses gêneros? 
 Eu sou uma grande fã de Sci-fi/Horror. Eu entrei de cabeça no sci-fi lendo os trabalhos mais antigos de Isaac Asimov como sua serie “Eu, Robô” de 1950. Sua especulação sobre como robôs precisariam de um código de éticas se precisassem viver com humanos no mundo real absolutamente me fascinou. Ele inspirou uma grande geração de escritores a desenvolver ficção científica, tanto que foi diversas vezes usado como fontes de referência em psicologia humana, assim como na ciência. 

 Como foi o processo de escrever uma história original como “Dead Reckoning”? Você fez pesquisas, você falou com os produtores? 
 É claro, eu reassisti todos os filmes, então eu li tudo que eu consegui achar na Internet sobre a série. Eu queria escrever um livro spin-off que seria o mais fiel possível à premissa da série, e que os fãs iriam gostar. Eu consegui um passe livre da New Line para escrever o que eu queria, desde que a história seguisse as regras Final Destination, o que foi uma tremenda oportunidade para usar a criatividade e me divertir um pouco. Eu sou uma grande fã de rock, então foi legal injetar um pouco da minha personalidade no livro, fazendo da heroína uma vocalista de uma banda de rock. 

 Como é se adapta um filme em um livro? Como foi o processo com Final Destination 1? Wow, pessoalmente, aquela sequência do pesadelo com Alex foi I N C R Í V E L. 
 Obrigada! Bom, o primeiro passo é pesquisar o filme – eu li tudo que eu fui capaz de achar, conversei online com os fãs da série para perguntar o que eles gostavam e não gostavam do filme. Em Final Destination 1, todo mundo concordou que o relacionamento entre Alex e Clear foi um dos pontos mais fortes do filme, então eu dediquei tempo extra e cuidado tentando amadurecer o relacionamento de ambos de uma maneira em que não havia realmente tempo no filme. Aquilo pra mim, foi tão interessante (se não mais) do que as cenas de mortes violentas. 

 Em algumas das versões anteriores da arte de capa do livro de Final Destination 2, só o nome de “Nancy A. Collins” estava nele. Como chegaram em você pra escrever o livro com ela? Como foi o processo de trabalhar com outro autor numa adaptação de um filme?
 Simplesmente, ela escreveu o primeiro rascunho, e eu escrevi o segundo. Nancy foi originalmente escolhida para escrever Final Destination 2, mas devido a sua agenda de compromissos apertada, o manuscrito que ela entregou era muito curto. Solaris então me enviou o manuscrito dela e eu retrabalhei nele para adicionar profundidade e cores, aperfeiçoando cenas que senti que ela poderia ter elaborado ainda mais. Nós nunca nos conhecemos ou falamos durante o processo, o que é um pouco estranho, mas estou orgulhosa do resultado final, pois eu fui capaz de pegar as habilidades dela como escritora e construir nelas. 

 Que conselho você daria para aqueles que querem escrever profissionalmente? 
 Meu conselho #1 seria ignorar o que é popular agora na lista dos mais vendidos e no cinema, e escrever o livro que VOCÊ gostaria de ler. Nunca escreva um livro porque você quer fazer dinheiro. Sempre escreva pensando assim, então aquele livro que está no seu coração vai ver a luz do dia.
Natasha "Rhocks"

Você pode nos falar sobre a sua série “Kayla Steele”?
Após escrever cinco adaptações de filmes, eu pude finalmente escrever minha própria série de livros. Na minha série “Dante’s Girl”, a heroína é uma loba, lutando por justiça contra a gangue de lobisomens que mataram seu amor verdadeiro. Eu sempre fui uma grande fã de lobisomens desde a primeira vez que vi “American Worewolf in London” de John Landis, mas desde então todo filme e livro de lobisomem tem me desapontado. Vampiros são sempre caracterizados como sexys e misteriosos, enquanto lobisomens são tratados mais ou menos como criminosos peludos. Na minha série de livros, eu quis reverter isso e aplicar um estilo de método “Isaac Asimov”, só que pensando em lobos – se eles vivessem e existissem na sociedade moderna, que regras eles teriam que seguir? Eles teriam religião e (o mais importante) o quão ricos seriam os donos de companhias de giletes, promovendo seus produtos de depilação para o mercado lobisomem? 

E por último, quais projetos, nós leitores devemos esperar?
 Atualmente estou trabalhando no livro quatro na minha série “Kayla Steele”, que deve estar pronto para lançamento no Natal de 2014. Fiquem ligados!

Obrigado Natasha, pelas ótimas respostas, pelo tempo enorme e pela paciência ainda maior, principalmente comigo! Desejo felicidade e sucesso pra você!

Thank you Natasha, for the great answers, thanks for the time and thanks for the huge patience with me! I wish you happiness and success!

E você que leu, comente! Deixe sua mensagem para Natasha e, se for o caso, eu mesmo irei traduzir e mandar para ela!
Perdoem meu Inglês, Reapers fluentes. 



 Ah claro, a versão do diretor de Premonição 1 em 480p já está online. Fique atento no site e na page do facebook para a disponibilização dos links!

Comente com o Facebook:

5 comentários:

  1. Adorei a entrevista. Muito interessante, apesar de ainda não ter lido os livros, ela fez um ótimo trabalho. Ela é muito simpática e atenciosa! Parabéééns pela entrevista Vini :)

    ResponderExcluir
  2. Caramba, excelente entrevista. Vi que ela gosta bastante de Ficção Científica, um gênero que é bem legal de ser explorado na minha opinião. Gostei bastante também do conselho dela, acho que é algo legal de se considerar. Abraços!

    ResponderExcluir

REST IN PIECES

Fique por dentro das novidades da franquia Final Destination! RIPB é a maior fonte brasileira de informações sobre os filmes, contando com um acervo de personagens, curiosidades, detalhes de making-of, sinais de mortes, tradução de livros, fotos exclusivas, roteiros, erros, músicas, atores e muito mais.
Aprovado por Jeffrey Reddick!

SOBREVIVENTES

Vinicius Camargo: Administrador, Tradutor, Editor, Criador de Conteúdo, Galerias, Roteiros.

Otávio Azevedo: Editor, Criador de Conteúdo, Downloads, Vídeos, Edições.

Rafael Araújo: Criador de Conteúdo.

Andrew Bianchinne: Editor, Criador de Conteúdo, Designer e HTML.

INSCREVA-SE NO NOSSO CANAL!

Tecnologia do Blogger.

ESTAMOS NO FACEBOOK

LEITURA ONLINE

PARCEIROS

MAPA DO SITE

- FILMES:

PERSONAGENS:


POR TRÁS DAS CÂMERAS:

PERSONAGENS:






POR TRÁS DAS CÂMERAS:
Devil's Flight 

Roteiro/Script (em breve)


Conexões

DOCUMENTÁRIOS:

ORIGINAIS:

TÍTULOS:

LEITURA ONLINE:
Spring Break #2
Spring Break #3 (Em Breve)

Spring Break #4 (Em Breve)

Spring Break #5 (Em Breve)

CONTEÚDO EXCLUSIVO